Revista Formosa - Nosso Compromisso

30/04/2022

Por Revista Formosa

O site de notícias Revista Formosa, disponíveil unicamente em formato digital, nasce com a intenção de propor ao público a oferta de três serviços: informação sobre fatos relevantes para a sua vida, como pessoas e como cidadãos, na política, na economia e nos acontecimentos centrais da atualidade; textos escritos por profissionais que têm paixão pelo desafio de entender a realidade; e o compromisso, por parte de todos os que escrevem aqui, de esforçar-se, no máximo de suas possibilidades, para saber do que estão falando na hora de escrever alguma coisa.

Assumimos, na prestação desses serviços, uma obrigação a nosso ver fundamental para um meio de comunicação: respeitar o tempo do leitor. Isso significa algumas regras de ordem prática. A primeira delas, possivelmente, é a tolerância zero com textos que deem trabalho para serem lidos; acreditamos que o leitor simplesmente não pode ser obrigado a "prestar atenção" para entender o que lê, nem ler duas ou mais vezes a mesma frase na tentativa de saber o que, de fato, está lendo. A segunda é fazer com que todas as matérias comecem pelo começo, sigam diretamente até o fim e aí parem - em vez de começarem por qualquer lugar, irem para a frente e para trás, e continuarem depois de ter acabado. A terceira regra é o esforço para eliminar do material oferecido ao leitor tudo aquilo que não o ajuda a ficar realmente mais bem informado.

A exigência número 1 para cumprir as regras mencionadas acima é escrever, sempre, com o máximo de clareza. Ser claro, para nós, significa o seguinte: só escrever de maneira a permitir a compreensão imediata do que está escrito. O leitor do Revista Formosa não pode ficar com dúvidas sobre o que leu. Não haverá em nenhum dos nossos textos, tanto quanto nossas habilidades permitirem, a pergunta: "O que será que eles quiseram dizer aqui?". Vamos nos valer, para isso, da ajuda do raciocínio lógico, dos números e da confiança na ciência, e não nas crenças. A clareza será nossa arma, enfim, para não deixar que o leitor fique sabendo menos do que sabia ao começar a leitura.

Formosa acredita com plena convicção e serenidade num conjunto de valores muito precisos, descomplicados e compreensíveis à primeira vista. Nossos textos vão refletir os fatos como eles ocorreram - tanto quanto nos for possível, sinceramente, fazer o retrato do que aconteceu, e não do que gostaríamos que acontecesse. Ao mesmo tempo, tentaremos sempre dizer o que eles significam, no nosso entendimento e nos limites da lógica. Jogar em cima do leitor uma porção de fatos, apenas, é como descarregar um caminhão de tijolos num terreno e achar que você está construindo uma casa. Esse entendimento terá como alicerce, sempre, os valores nos quais acreditamos como jornalistas e como cidadãos.

Nosso site será, sim, conservadores na sua visão da política, da vida e da sociedade. Ser conservador, em nosso entendimento, é defender claramente que as coisas boas sejam conservadas; não vemos nada de errado em conservar o que nos parece positivo. É nossa convicção que o conservadorismo, hoje, é o oposto das posições estáticas, reacionárias e, no fundo, defensoras do atraso social, econômico e político do Brasil. Ser conservador, ao contrário, é ser genuinamente a favor das mudanças que a sociedade exige para progredir no século XXI. É a via mais eficaz para promover o desenvolvimento, a criação de riquezas e a multiplicação de oportunidades. É o caminho mais curto para a igualdade e a inclusão social.

Somos a favor da liberdade econômica, sem hesitações. Acreditamos no capitalismo - e achamos que os seus problemas devem ser corrigidos com mais capitalismo, e não menos. Acreditamos no mérito, no talento, no esforço e no trabalho individuais: são eles que justificam a recompensa material das pessoas. Acreditamos que todos devem ter igualdade nas oportunidades, e não nos resultados. Acreditamos que a distribuição de riqueza e de renda deve ser fruto do crescimento econômico, no plano coletivo, e do trabalho de cada um, no plano individual. Não achamos nada de negativo em noções como as de patriotismo, família, senso moral e capacidade de distinguir entre o certo e o errado.

Nosso pacto essencial com os leitores é ficar, sempre, do lado da realidade. Formosa não pretende ser imparcial, porque a realidade não é imparcial; tem um lado, e é deste lado que estaremos. A "realidade relativa", para nós, não existe. A realidade é uma só. E, se não soubermos qual é, diremos ao leitor que não sabemos - vamos, então, procurar saber. Como anotou o pensador inglês Roger Scruton, recentemente falecido, quem diz que toda realidade é relativa está pedindo para você não acreditar nele. Então, não acredite.

Confiamos que o leitor tenha as melhores razões para acreditar no Revista Formosa. Adaptado do Revista Oeste.