Entrevista Exclusiva com Tônia Barouche, juíza da Comarca de Formosa do Rio Preto

05/03/2024

Magistrada responsável pela decisão de liberar o acesso à estrada vicinal que leva à comunidade do Distrito Cadeado

Juíza Tônia Barouche. Imagem/Acervo pessoal/RevistaFormosa
Juíza Tônia Barouche. Imagem/Acervo pessoal/RevistaFormosa

Por Revista Formosa

Em uma entrevista à Revista Formosa, a juíza Tônia Barouche, responsável pela decisão de liberar o acesso à estrada vicinal que leva à comunidade do Distrito Cadeado, zona rural do município, compartilha com a reportagem os desafios enfrentados na Comarca de Formosa do Rio Preto, oeste da Bahia.

A Juíza Tônia Barouche, que atua em parceria com a Juíza Lóren Campezatto (a entrevista com a Dra. Lóren será publicada em breve pela Revista Formosa), destaca a relevância da conciliação e deixa uma mensagem para a sociedade formosense.

Confira a entrevista:

Revista Formosa: Quem é a Juíza Tônia Barouche? Fale um pouco do início de sua carreira no judiciário.

Juíza Tônia Barouche: Sou Tônia Barouche, graduada, especialista e Mestra em Direito pela Universidade Estadual Paulista e, desde muito pequena, dizia que seria Juíza. Durante a minha graduação fiz estágio voluntário em uma vara cível na comarca de Franca/SP onde pude confirmar meu amor e vocação pela magistratura. Ademais, também estagiei em escritório de advocacia na mesma cidade e atuei como advogada, por aproximadamente 12 anos, no Estado de São Paulo, período que também exerci o papel de advogada dativa pela Defensoria Pública e assistente de magistrado e, logo após, assumi meu tão sonhado cargo no Judiciário Baiano.

Revista Formosa: Vamos saber um pouco da ficha técnica da Juíza Tônia Barouche.

Revista Formosa: Naturalidade?

Juíza Tônia Barouche: Campinas/SP

Revista Formosa: Parte do Currículo.

Juíza Tônia Barouche: Juíza de Direito do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJBA) Graduação em Direito pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP (2011). Especialização em Direito pela Universidade Católica Dom Bosco (2013). Mestrado em Direito pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP (2015). Já foi membro efetivo da Comissão de Direito Civil da OAB-SP, advogada dativa pela Defensoria Pública de SP e assistente de magistrado no TJMG. Autora de diversos artigos jurídicos. Professora colaboradora do curso MEGE.

Revista Formosa: Juristas que a inspiram.

Juíza Tônia Barouche: Difícil falar de uma ou algumas pessoas específicas. No geral, tenho apreço e admiração por todos os magistrados e militantes da Justiça que cumprem com sua missão institucional. Na maioria das vezes esses magistrados e militantes não têm rostos estampados nas mídias e nem mesmo são autores de grandes obras; são pessoas que trabalham duro pela Justiça no nosso país. Tive a grande felicidade de encontrar na minha jornada muitos magistrados competentes e inspiradores, como o Dr. Humberto Nogueira, Dra. Rita de Cássia Ramos, Dr. Sadraque Rios, Dr. Guilherme Madeira, Dr. Guilherme Nucci, etc.

Revista Formosa: O que está lendo?

Juíza Tônia Barouche: Nesse momento estou lendo Mentes Perigosas da autora Dra. Ana Beatriz Barbosa Silva.

Revista Formosa: Nas horas vagas?

Juíza Tônia Barouche: Me aperfeiçoei (e continuo aprendendo) a arte da dança de salão; gosto muito de dançar bem como amo estar com a família e amigos.

Revista Formosa: Quais são, na sua opinião, os principais problemas enfrentados pela Magistratura Brasileira atualmente?

Juíza Tônia Barouche: Acredito que atualmente o Judiciário encontra um grande problema de morosidade. São muitos processos parados aguardando decisões/despachos e julgamento, o que leva a uma descrença da população.

Outrossim, infelizmente, tivemos casos de corrupção que também fazem com que a figura do juiz se torne duvidosa.

Revista Formosa: Quando chegou à Comarca de Formosa juntamente com a Dra. Lóren Terezinha Campezatto, quantos processos encontraram? E como tem sido a dinâmica de trabalho em equipe desde então?

Juíza Tônia Barouche: Infelizmente nossa comarca estava sem um juiz designado em exercício desde a promoção dos nobres colegas Edson e Eduardo, o que culminou no acúmulo do acervo processual. Tal acúmulo foi e continua sendo um grande desafio para nós, tendo em vista que precisamos e queremos prestar o serviço jurisdicional de forma célere, porém, sem nunca nos descurarmos da eficiência, seriedade e comprometimento. Nossos processos são divididos em pares e ímpares, visando a imparcialidade e considero que temos uma excelente atuação de parceria e amizade.

Revista Formosa: Como tem sido sua experiência inicial na Comarca de Formosa, em termos de desafios e oportunidades?

Juíza Tônia Barouche: A experiência está sendo ótima! Nossos servidores são atenciosos e competentes. Reforço o desafio de prestar um serviço eficiente e de qualidade com a rapidez que a população merece, porém, estamos trabalhando em conjunto e com avinco para que possamos resolver a temática.

Revista Formosa: Em sua opinião, quais são os aspectos mais urgentes que precisam de atenção na área jurídica desta região, especialmente Formosa do Rio Preto?

Juíza Tônia Barouche: Não é novidade que a grande problemática da nossa cidade envolve as questões fundiárias, as quais, em conjunto com a Corregedoria do TJBA, estamos nos organizando e planejando resolução rápida e eficiente. Mas não podemos esquecer que Formosa do Rio Preto vai muito além dessas questões de terra! Nós temos mães, mulheres, crianças, adolescentes, trabalhadores rurais, etc, que precisam e tem toda a nossa atenção para a resolução dos seus problemas.

Revista Formosa: Na sua opinião, conciliação pode ser um caminho para desafogar o Fórum?

Juíza Tônia Barouche: Com certeza! A conciliação, além de trazer uma rápida solução para as partes, também promove o diálogo e, no diálogo, as pessoas tem mais liberdade para expor às suas crenças, seus motivos, suas aflições, o que acaba sendo também muito produtivo para que se fortaleçam laços de afeto/amizade perdidos. Além disso, permite que o Judiciário se atente a outros problemas que infelizmente não foram resolvidos de forma amigável. Todos saem ganhando: as partes, o Juiz e o Judiciário como um todo.

Revista Formosa: Para concluir, suas considerações.

Juíza Tônia Barouche: Apenas reforço que estou muito feliz e realizada de estar aqui e pretendo, com a ajuda e colaboração de todos, promover um serviço adequado para toda a nossa população. As portas do fórum estão abertas e acredito que juntos, podemos construir um futuro melhor, com justiça e dignidade.

Receba as últimas notícias da Revista Formosa no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI! . Siga a Revista Formosa no Google News.